9º Famílias Consagradas. Consagração das Famílias com Dom Afonso Fioreze

Durante o 9º Famílias Consagradas, o Bispo da Diocese de Luziânia/GO, dom Afonso Fioreze, renovou a consagração das famílias ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria.

Clique aqui e confira as fotos do dia no 9º Famílias Consagradas.
Clique aqui e confira as fotos da Santa Missa no 9º Famílias Consagradas.

dom-afonsoEm sua exposição ele explicou aos fiéis, a importância de se decidir por Deus, consagrando-se a Ele. Acompanhe um resumo sobre a explicação de Dom Afonso.

Como sabemos que estamos com Deus no nosso coração? No Evangelho de São Lucas (Lc 8,21), Jesus diz que a sua mãe e seus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a colocam em prática. Vocês estão colocando em prática a palavra de Jesus? Só podemos dizer que Jesus está no nosso coração e anda conosco, quando ouvimos a palavra de Deus e a colocamos em prática. A consagração funciona assim: nós pedimos a proteção de Deus, mas nos comprometemos a andar com Ele. Significa que devemos nos deixar conduzir por Ele. Isso não é tão fácil e nós, muitas vezes, queremos fugir quando as coisas apertam, mas aprendemos de Jesus que devemos cumprir a vontade de Deus. Ele nos ensina na oração do Pai Nosso: “seja feita a Tua vontade assim na terra como no céu” e coloca em prática o ensinamento no Horto das Oliveiras, dizendo ao Pai: ‘‘Não faça a minha, mas a tua  vontade”. A vontade de Jesus é a vontade do Pai. Um dia, Felipe cansado de ouvir Jesus falando sobre o Pai, começou a dizer: “Jesus, mostra-nos o Pai e isso nos basta”. E Jesus disse: “quem me vê, vê o Pai, porque eu e o Pai somos um.”

dom-afonso2A consagração significa isso: eu e Jesus formamos uma unidade. A consagração é uma parceria nossa com Deus. Damos muitas coisas para as pessoas, mas é muito difícil nos doarmos a elas, nos sacrificarmos por elas. Um casal, por exemplo, também tem essa dificuldade de se doar um pelo outro. Normalmente se casam, mas querem ter vida própria. A mesma coisa acontece com um bispo, com um sacerdote, que sabe que vai prestar serviço à Igreja, à comunidade, mas depois da ordenação tem dificuldade de fazer com que isso aconteça. A consagração é diferente, porque é uma parceria para fazer as coisas junto com Deus. Deus nos assume e nós O assumimos. A consagração não tem um sentido mágico. Deus criou todas as coisas, mas o ser humano é a única criatura que conhece a ação dele e é capaz de retribuir com todo amor. O salmista nos escreve: “o que é o ser humano para tu te ocupares tanto com ele”? E quando refletimos sobre isso, vamos perceber que o ser humano é o único que produz os frutos do Espírito Santo. Os frutos do Espírito Santo são alegria, amor, paz, paciência  etc., E só o ser humano tem essa capacidade. A consagração significa dizer: eu quero morrer para mim mesmo e buscar a santidade. A consagração é a aceitação da parte divina do ser humano. Eu, querendo ser protegido, aceitando a proteção de Deus, dou o sinal a Deus para que isso aconteça, através da consagração. Na consagração aceitamos que Deus seja o nosso protetor.

Deixe uma resposta