História

Um Breve Histórico da Comunidade

Desde de 1978, a fundadora Valdice D’ Abadia, foi impelida – por um sonho profético com o purgatório – a servir a igreja Católica com mais ardor. Nesse sonho, ela viu muitas pessoas, inclusive ela mesma, em estado de purificação, sofrendo por não estarem na presença de Deus. Tal sonho despertou nela um desejo ardente de lutar pela salvação das almas, de modo que chegassem a uma santidade de vida tamanha, que as isentasse até mesmo de passar por estágio de purificação no purgatório.

Impelida por essa revelação, iniciou o trabalho na Igreja através da catequese infantil, equipe de liturgia, da Legião de Maria e também em outros serviços solicitados pelos sacerdotes.

Em meados de 1982, teve uma profunda experiência com o Espírito Santo, através da cura de um quisto no útero, quando estava grávida de seu quarto filho. A partir de então, começou um processo de participação em grupos de oração. Pouco tempo depois assumiu a coordenação de um grupo voltado para os jovens. Foi responsável pela expansão dos grupos de oração na região e se tornou a primeira coordenadora Diocesana da RCC em Luziânia.

Além disso, foi responsável junto com o grupo de pessoas, que sempre a acompanhava, pela Ordenação Episcopal do 1º Bispo da Diocese de Luziânia, Dom Agostinho. Também assumiu a organização de inúmeras ordenações presbiterais, trabalho, do qual sempre realizado com muito zelo e amor.

Em 1986 acontece um fato trágico em sua vida. O esposo da fundadora da MEL de Deus se suicida na presença dela, após a saída do grupo da Legião de Maria. Tal fato aumentou o ardor missionário e a fez realizar uma aliança com Deus, a fim de que ninguém mais morresse desta forma em sua presença.

Daí então, viúva e mãe de 4 filhos pequenos, professora do GDF, resolveu dedicar mais ardorosamente sua vida à missão evangelizadora e à propagação do Batismo no Espírito Santo, do qual diz ser sua força motora.

Em 1989, abraça o projeto Evangelização 2000, impulsionada pela voz do Santo Padre no documento Novo Milennio Ineunte, “se fez ao largo” para uma grande pesca (cf. Lc 5,4) e passa a realizar grandes eventos no ginásio de esportes da cidade, bem como implanta grupos de oração e Escolas de Evangelização em quase todas as cidades da Diocese.

No ano 2000, com o fim do projeto de evangelização e também saída da coordenação Diocesana da RCC, é nomeada Coordenadora Diocesana da EESA (Escola de Evangelização Santo André), antiga Nova Evangelização, trabalho esse que ganhou grande impulso na região.

Em 2001, durante o curso Moisés, tem a visão de uma montanha altíssima, ladeada por um precipício. Jesus estava no topo da montanha com uma corda amarrada na cintura e a outra ponta da corda estava amarrada na cintura da nossa fundadora para ajudá-la a subir. E da cintura de Badia, saíam três cordas que eram amarradas em outras três pessoas. De cada pessoa, saíam mais três cordas que amarravam mais três outras pessoas e, assim por diante. Ao final, uma multidão conseguia chegar ao topo da montanha sem cair no precipício, porque estava amarrada em Badia, que estava amarrada em Jesus.

Com essa visão, sente o chamado para fundar uma comunidade, que tinha o chamado espiritual a subir esta montanha. Um pequeno grupo de pessoas que a acompanhou todos esses anos, aderiu à proposta e começou a se reunir semanalmente para rezar e também organizar os trabalhos missionários. Contudo, ainda não tinha clareza do que era mesmo comunidade, mas essa organização deu grande impulso ao trabalho missionário.

Em 2002, se consagra como celibatária e novo vigor ganha a obra evangelizadora. Chegando a ministrar mais de 30 cursos por ano, mantendo um grupo de oração de mais de 1000 pessoas semanalmente, organizando congressos e ajudando na comissão de construção da Catedral Diocesana.

Porém, após um período de oração e discernimento, chegou-se à conclusão de que estávamos atuando mais na linha do trabalho missionário, do que sendo comunidade e, em oração, suspendeu-se o sonho de comunidade para reorganizar e ouvir melhor a vontade de Deus. Em 2004, assumimos a EESA Diocesana com mais afinco

e, em 2008, iniciamos, com frei Josué, a celebrar a Santa Missa uma vez por mês, no dia do grupo de oração, em prol da construção da Catedral Diocesana, missão esta que culminou com um retiro anual das EESAS da Diocese, RCC e fazenda de recuperação. Nesse retiro, em outubro de 2008, Deus profetizou através do Frei Josué, que erámos comunidade e que já estávamos atrasados 20 anos.

Tudo isso fez aflorar o sonho antigo e a revelação do Pai para este povo. Mais que depressa fomos ao Bispo Dom Afonso, falamos dessa realidade e ele simplesmente nos disse que só iriamos oficializar o que já vivíamos, pois ele nos considerava como uma comunidade.

Após a bênção e a concordância do Bispo, realizamos outros retiros e escrevemos algumas regras que já faziam parte do nosso cotidiano. Já tínhamos uma sede onde funcionava o escritório da EESA; já tínhamos um povo que há muitos anos acompanhava a fundadora no seu modo de ser de Deus e de realizar a missão. Então, depois de muita oração, começamos a realizar o sonho de ser comunidade efetivamente.

Os fundadores fizeram retiros para escutar a vontade de Deus para a comunidade. Frei Josué exorta sobre a necessidade de colocar Nossa Senhora sempre à frente de todas as ações da comunidade. Lembrando a profecia de Dom Bosco que afirma que os dois pilares que vão sustentar a igreja, para ela não ruírem no fim dos tempos, são a Virgem Maria e a Eucaristia. Concluíram que estes também devem ser os pilares da Comunidade em sua espiritualidade.   Daí começa surgir o novo nome “Comunidade MEL de Deus”. A palavra MEL foi formada pelas letras “M” de mariana. “E” de eucaristia e a letra “L” de luz de Deus, palavra contida no primeiro nome que era “Esplendor da Luz Divina”.

Depois de muita oração e discernimento o nome ficou Comunidade Mariana Eucarística Luz de Deus, mas era um nome muito extenso. Então, com o passar do tempo, compreendeu, que o nosso nome era mesmo MEL e que nossa espiritualidade seria Mariana Eucarística Luz de Deus.

No dia 25 de março de 2009, ao meio dia, celebrou-se uma Santa Missa com o Diretor Espiritual e fundador Frei Josué, a fundadora Valdice D’ Abadia, o amigo e co-fundador histórico Pe. Adonias, os co fundadores Débora, Sílvio e Magali e demais membros. No dia 28 de março de 2009, foram realizados os primeiros compromissos dos membros, na cripta da Catedral Diocesana, durante Santa Missa celebrada pelo Bispo Dom Afonso Fioreze, concelebrada pelo Frei Josué, Pe. Adonias, Frei Márcio e participação da fundadora e demais membros.

No dia 28 de março de 2009, foram realizados os primeiros compromissos dos membros, na cripta da Catedral Diocesana, celebrada pelo Bispo Dom Afonso Fioreze, Concelebrada pelo Frei Josué, Pe. Adonias, Frei Márcio e participação da fundadora e demais membros.

Foram instituídos o pequeno conselho e o grande conselho da comunidade. Os núcleos formativos foram organizados por colmeias. Iniciamos com 126 membros de aliança e 3 membros de vida. No ano de 2010 não fizemos compromissos, mas intensificamos a formação sobre a vida em comunidade. No ano de 2011, com a ajuda da formadora geral da Doce Mãe de Deus, foram escritos os estatutos civil e canônico, bem como realizada a consagração definitiva dos fundadores Valdice e Frei Jousé e a consagração temporária dos cofundadores Débora, Sílvio e Magali, acompanhada pelo Bispo Diocesano.

Em 2012, após três anos de formação, os primeiros membros fizeram o compromisso do 1º ano de consagração, e também foi publicado o decreto de Ereção Diocesana, aprovando em caráter definitivo a comunidade MEL de Deus e o seu estatuto.

No ano anterior, a comunidade MEL de Deus foi reconhecida como utilidade pública municipal e em 2012, como utilidade pública estadual. No ano de 2013, ingressaram 5 jovens e 01 senhora na comunidade de vida, e inauguramos na fazenda São José, o espaço do 1º ano de formação da comunidade de vida. Também adquirimos uma sede na cidade, chamada de Recanto MEL de Deus, um terreno na fazenda São José para a construção da casa de formação do 1º ano, da capela e da casa de acolhida para os sacerdotes.

No ano de 2013 recebemos 06 jovens na Fazenda São José para iniciarem o caminho de formação inicial da comunidade de vida. A fazenda São José se tornou o útero a gerar filhos para este carisma. A fazenda São José se tornou o útero a gerar filhos para este carisma.

A fazenda São José se tornou o útero a gerar filhos para este carisma.

Tivemos a grande alegria pela providência do Eterno Amado Jesus de adquirir o Recanto MEL de Deus. Deus vendo a magnífica obra e tudo que ele precisa realizar nessa cidade e em todo o centro oeste, nos concede uma terra, para manifestar a misericórdia de Deus. O local tem sido a manifestação do amor de Deus, as Santas Missas, confissões, os encontros, retiros e outras iniciativas têm demonstrado que a graça do Pai está nesse lugar.

 

Deixe uma resposta