Jesus a luz que ilumina verdadeiramente nossa fé – Frei Josué no 5º dia da semana das Famílias

Deus quer ser luz na sua vida.

“Dois cegos o seguiram, gritando: “Tem piedade de nós, filho de Davi!”            (Mateus 9,27).

Clique aqui e confira as fotos do 5º dia

quinto-dia-9fc

A luz que profetizada pelo profeta Isaías no capítulo 29, louvada e aclamada por Davi no salmo 26: É Jesus. Jesus é essa luz! Ele traz luz à visão, não só a visão física, mas também a visão espiritual. Uma visão que vem da fé, de uma fé verdadeira.

Essa luz que é Jesus, fizeram com que dois cegos tivessem a luz da visão de uma nova da vida e da eternidade. O Senhor é minha luz e minha salvação!

Para a gente entender bem essa realidade, é preciso descobrir como é o seu oposto. Por exemplo. O que é contrário da luz? Trevas! Imagina se eu dissesse: “O Senhor é a minha treva e a minha condenação”? Deus me livre! Forte isso né?! Às vezes dizemos as coisas, mas não sabemos a força do que estamos dizendo. Quando dizemos que o Senhor é minha luz, significa que eu não vou andar em trevas. E qual a maior treva que existe nessa terra? O pecado! Todo pecado é o combustível que satanás precisa para agir na nossa vida. Quando a gente está em pecado, fazemos mal não só a nós, porque este mal, que é o demônio, alcançará outras vidas, a começar da nossa família. É por isso que o Senhor tem que ser a nossa luz! Nós não podemos andar em trevas.

Meus irmãos, Deus quer ser a nossa luz. O mundo está sendo acometida de tragédias como o avião que caiu com os Chapecoenses, e agora, na surdina, o Supremo Tribunal Federal legisla de modo que o aborto provocado até o terceiro mês de gestação não é crime. Veja isso meu irmão? A palavra diz que “antes que fosse formado no ventre da sua mãe, eu já te conhecia, eu já te havia designado profeta dessa nação”. Como aceitar o aborto? Como aceitar uma eutanásia? Isso são as trevas! Mesmo sendo pessoas tão sábias, que justificam suas posições, eu e você temos que dizer que o Senhor é minha luz e minha salvação, e eu eu não quero caminhar nas trevas. Mesmo que o mundo me ofereça outros caminhos, outras oportunidades, tenho que dizer: eu não quero! Eu quero o caminho de Deus!

Eu e você temos que fazer como esses dois cegos, temos que começar a seguir Jesus e a gritar. Gritar não é só com a voz, porque muitos gritaram com a voz quando Jesus entrou em Jerusalém, dizendo-lhe: “Hosana, filho de Davi, Viva o rei dos Judeus”. Foram esses mesmos que gritaram: “Crucifica-o, crucifica-o”, uma semana depois, na sexta-feira da paixão. Isso nos mostra que não é só gritar com a boca, não é só dizer: “Senhor, Senhor”. Jesus está cansado de palavras. O Senhor está cansado de orações vazias proferidas apenas com os lábios, Ele quer o grito da alma. Muitas vezes, para que gritemos com a alma, infelizmente necessitamos que passar por um grande sofrimento.

Nesses vinte anos de sacerdócio eu já vivi muita coisa, já vi muitos milagres, e muitas vidas transformadas, e posso dizer com propriedade, que nesses vinte anos, vi muitas pessoas que buscaram o Senhor, que gritaram de todo coração e com as suas almas, serem atendidas. É preciso entender que muitas vezes, para que elas gritassem com a alma, para quê, aprendessem a gritar com a alma, com o coração, aquele grito silencioso, que você não tem  palavras. Onde a dor é muito forte e você só tem lagrimas e às vezes nem isso. É nesse momento que sai o grito da alma. Os gemidos são gritos da nossa alma. Quando você não tiver mais o que dizer, o que orar, o que suplicar a Deus, apenas ore em línguas.

 Muitas vezes Deus permite que a gente passe por grandes provações, porque as provações muito antes de serem castigo ou permissão de Deus para que a gente sofra, até porque Deus é amor e misericórdia, são uma forma de gritarmos com a alma. Quando o homem começou a se colocar como o centro do universo, ele começou a se empobrecer. Ele cria a ciência, constrói aviões, produz bombas, mas se tornou pobre porque fica dizendo: “O Estado é laico, nós não estamos ligados a nenhuma religião, temos que ser livre, temos os nossos direitos”. Essa é a mesma tentação que demônio colocou a nossos pais, Adão e Eva, quando disse que eles seriam como deuses e que se desobedecem a Deus poderia escolher o que é certo e o que é errado e que seriam totalmente livres.

E assim, vamos acreditando na mentira de satanás e ficando cada vez mais cegos. Mas quando isso acontecer, devemos fazer como os homens que gritaram: “Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!” Imagina se hoje você perdesse sua visão, não é difícil? Se você perde a sua visão você perde o mundo. Eu tenho muita compaixão das pessoas que estão perdendo a visão, agora imagine você ficar cego espiritualmente? Não ter mais fé em nad. Você perder sua fé, a luz da sua fé, a força de acreditar em Nossa Senhora, na Eucaristia, não encontrar sentido na sua vida, ler a palavra de Deus e não encontrar mais sentido naquilo que lê? Isso é uma cegueira terrível! Se a cegueira física é terrível, imagina a cegueira espiritual?

 Então, peça a Deus essa graça de que nada e nem ninguém abale sua fé. Esse é o maior tesouro que você tem, e, para que você cresça na sua fé, Deus tem permitido essas provações. Provação não significa que Deus não existe. As vezes você se pergunta: “Ai meu Deus, se Deus existe porque estou passando por isso? Justamente porque existe esse problema é que você tem que se segurar em Deus! Se Deus está permitindo isso, Ele é fiel, Ele não te provaria se Ele não desse a graça. Por isso, busque crescer na fé. Nem sempre foi fácil para estes cegos enfrentarem o mundo. Imagine duas pessoas cegas gritando enlouquecidamente? Eles não queriam saber de respeito humano não! Será que alguém os ajudou? Eles enfrentaram tudo, entraram naquela casa para conseguir falar com Jesus. Quando a gente quer, a gente encontra um meio.

Essa casa que Jesus entrou e à igreja! As vezes você quer seguir a Jesus na sua própria casa, mas não! Você tem que vir a igreja. Você tem que seguir Jesus. Se ele está te permitindo essa dificuldade é para você o acompanhar e crescer na sua fé. Você diz: “Ah eu rezo em casa”. Será?  Reza nada! Se você reza em casa está muito fraco, porque a palavra diz: “quando dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estarei no meio deles”. Jesus está te trazendo para igreja. Essa dificuldade, essa cegueira, essa provação, é para você ser mais da igreja, mais de Deus, rezar mais, procurar mais, não desistir. E aí, nesse momento, Jesus faz a pergunta final: “Vós acreditais que eu possa fazer isso”? Você acredita realmente que Jesus está aqui e que ele está no meio de nós? Acredita realmente que ele pode te curar e curar sua família? Cuidado, pois Ele sonda o seu coração e sabe da sua fé. Mas se você não tem essa fé suficiente, diga: “Eu Creio Senhor, mas aumenta a minha fé”.

Se a fé dos cegos fossem só de boca e não fosse de coração, como teria sido, já que Jesus os curou de acordo com a fé deles? Meus irmãos, são as nossas orações e a nossa fé que nos justifica ou nos condena. Porque que alguns vêm à igreja e alcançam a graça e outros vêm e não a alcançam? Porque que Jesus age na vida de um e não age na vida de outro? O que é que diferencia uma pessoa de outra? A fé! Existe basicamente dois tipos de fé: existe a CRENÇA que é muito mais mental (eu creio que existe Deus, que existe o céu, que existe a palavra de Deus), é muito mais intelectual, é uma certeza do mesmo jeito que você acredita na existência do seu pai e da sua, acredita na família, acredita na fidelidade da pessoas. Essa é uma fé de crença.

Porém, existe outra fé chamada CARISMÁTICA, que é um dom. A fé da crença vem pela pregação. Quando você escuta a palavra de Deus, estuda o catecismo, se confessa, recebe Jesus na eucaristia, você tem uma fé de crença, mas, existem alguns momentos que você tem que passar na vida e que você vai receber uma porção redobrada de fé. Uma fé que é dom, um presente para aquele momento. Se Deus permitiu que você passasse por um momento difícil, Deus também lhe dará  uma graça, uma fé especifica, o dom de fé, para que você possa vencer essa situação. Contudo, esse dom você tem que pedir com muita insistência. Essa fé carismática é algo muito maior do que você. É como se você fosse tomado por ela. É como se Deus soprasse um sopro de vida, de esperança. Deus lhe dá uma certeza tão grande, uma alegria, uma confiança e uma paz tão grande, que nada nem ninguém pode tirar de você. Essa é a fé carismática!

 Você tem que ter uma fé viva, e para que essa fé seja autentica, rogue ao senhor por essa graça, pela intercessão de São José, que no momento mais difícil da sua vida, pediu essa porção redobrada de fé, que é a fé carismática.

Deixe uma resposta