Não há limites para a vontade de Deus. Frei Josué em 12/2/18

“A comprovação da fé produz em vós a perseverança, para que vos torneis perfeitos e íntegros” (Tg 1,1-11)

O Evangelho de hoje nos mostra uma realidade que deve servir de grande alerta: Jesus já tinha realizado muitos milagres, tanto em Israel, como na terra dos pagãos: o pedido da Cananéia, na terra dos Gadarenos, a cura dos leprosos, grandes sinais que ele realizou, expulsando demônios, fazendo curas, multiplicando pães, tantos milagres que Ele nem podia entrar nas cidades. Por que, então, os fariseus pediram mais um sinal?

Porque são pessoas orgulhosas, não aceitam as evidências, os fatos. Por exemplo, a gente pensa que uma pessoa é ciumenta porque ama o outro. Não se engane. O ciumento não está preocupado com o outro, mas consigo mesmo. As pessoas mais ciumentas são as que mais traem; desconfiam dos outros porque são desconfiadas de si mesmas. Ela não acredita no outro e sempre pede uma prova! Você pode fazer de tudo e ela nunca vai acreditar em você. Se Jesus expulsasse um demônio ali, os fariseus iam dizer que Ele expulsava em nome do demônio, como já tinha acontecido antes. Quando a pessoa não quer acreditar, não adianta; o coração endurece mesmo!

Se você quer muito casar, tenha cuidado com a idolatria.Você vai ser infinitamente mais feliz no celibato, mas não aceita porque Deus não fez a sua vontade. O contrário também acontece: às vezes você quer ser padre porque tem medo de constituir uma família; vai para o seminário e atrapalha não só a sua vida, mas a de outros também; a pessoa é infeliz e faz outros infelizes, porque se apegou à sua vontade como um ídolo. Não diga que se você não se casar não vai ser feliz. Diga: se eu não realizar a vontade de Deus é que eu não vou ser feliz!

O Evangelho de hoje é para mim e para você. Eu quero passar nesse concurso e me revolto contra Deus se isso não acontece. E se a vontade de Deus é para você arrumar um emprego mais simples? E se passando nesse concurso você perder a sua fé? Em toda oração que fizer, tenha a coragem de dizer: ‘seja feita a sua vontade, Senhor. Eu confio em vós’. Você acredita que mais do que você mesmo, Jesus quer lhe ver feliz? Confia ou não? Questione a sua fé. Tenha coragem. Dizer que confia quando Ele dá o que a gente quer, é fácil, mas o discípulo segue o Mestre e confia.

Como é triste quando Deus só responde com o silêncio e a pessoa se sente abandonada. O que fazer? Hoje começamos a ler a carta de São Tiago que nos ensina que passar por provações é motivo de alegria. Como pode isso? A provação é como o parto de uma mulher, prestes a se tornar mãe. A dor é excruciante, mas a alegria, a emoção de ver o rosto do filho supera tudo. Assim também é a tribulação enfrentada por um coração que confia no Senhor. Como o Senhor se alegra quando você confia nas horas de provação. Sem humildade, é impossível agradar a Deus. Você quer ser humilde? O único caminho para a humildade é passar por humilhações. Qual foi o grande sinal que Jesus nos deu? A cruz é o maior sinal; um sinal sem palavras, onde Ele sofreu toda humilhação. Por isso, Jesus pode dizer: ‘aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração. E essas são as virtudes que nos assemelham a Ele.’

Muitas vezes, queremos a humildade, aceitar a vontade de Deus, mas peça essa graça: de viver com alegria nas provações. A perseverança é uma virtude tão importante que o próprio Jesus disse que quem perseverar até o fim vai se salvar. Devemos sempre pedir a graça da perseverança final. E isso significa morrer em estado de graça e ir para o céu. E a perseverança só e produzida em nossas almas, quando passamos por diversas provações, comprovando a nossa fé.

São Tiago ainda diz que é preciso que a perseverança gere uma obra de perfeição. Jesus disse: ‘sede perfeitos como vosso Pai é perfeito’. Você não pode imitar o Pai na perfeição do amor; na prática do bem e das virtudes porque somos cheios de defeitos, mas você pode imitá-Lo na perfeição da paciência. Deus é tão paciente conosco… Ele tem nos dado tantas chances, esperado tantos anos por nossa conversão. Peça a Deus a virtude da paciência, que significa a ciência da paz e ciência significa conhecimento da paz… E paz é a união com Deus, quando a alma está unida a Deus pela oração ela tem paz – pode estar passando por várias tribulações, mas sente paz no coração. Como diz Santa Teresa d’Ávila: ‘a paciência tudo alcança’. Para alcançar as graças de Deus, tem que ter paciência.

Veja os textos Tb 3,20-23; e 1Cor 10, 11-13. Muita gente se pergunta: por que Deus permite que sejamos provados? São Paulo nos dá a resposta em 2Cor 12ss. Deus perdeu sua maior criatura (Lúcifer), a criatura que mais encheu de luz depois da Virgem Maria por causa do orgulho. Deus detesta gente orgulhosa, porque o orgulho nos afasta d’Ele. Para a pessoa orgulhosa, é difícil reconhecer seus próprios erros. São Paulo, se não fosse provado, ia cair no orgulho porque ele tinha muitos dons. Quem tem tendência ao orgulho precisa ter cuidado. Não reclame das provações porque Deus te ama e, muitas vezes, permite as provações para quebrar o orgulho. Ele prefere te ver com um espinho na carne para te livrar o perigo da vaidade.

E para vencer as tentações, os vícios da carne, só amando a Jesus, querendo agradar a Ele e pedindo o batismo no Espírito Santo. O Espírito Santo é o Amor do Amor. Peça ao Espírito Santo: ‘gera em mim o teu amor. Liberta-me de toda ação do inimigo, do poder da carne, da miséria do pecado e da morte. Gera em mim um amor maior. Que o meu prazer seja dar prazer ao meu Senhor com uma vida de oração, de virtude, de pureza e de adoração!

Deixe uma resposta