Precisamos levar as pessoas até Jesus

Temos que levar as pessoas para que se encontrem com Jesus, o Salvador.

Queridos irmãos, estamos encerrando o mês de novembro e às portas de mais um ano litúrgico. Ontem começamos a novena da Imaculada Conceição e, hoje, dia 30 de novembro, a Igreja celebra o grande apóstolo Santo André, que foi o responsável por levar São Pedro – que se tornaria o primeiro Papa da Igreja Católica – até Jesus.

São Pedro foi chamado, evangelizado e conduzido a Jesus por seu irmão André. A história da Igreja mostra que depois da ascensão de Jesus e de Pentecostes, começaram as perseguições aos apóstolos e, por isso, eles se espalharam pelo mundo para levar a Boa Nova de Jesus. E Santo André foi para a Grécia e se fixou na cidade de Patras. Santo André entregou sua vida ao Evangelho, por amor a Jesus.

Essa semana estamos nos preparando para o 10° Famílias Consagradas e se você quer que alguém da sua família se aproxime de Jesus, peça a intercessão de Santo André, reze e confie, porque Deus tudo pode. Às vezes você faz um convite a quem você ama, uma pessoa muito próxima, e essa pessoa recusa o convite e até zomba de você. Mas não desanime, apenas convide e desafie essa pessoa: “vinde e vede”. Talvez essa pessoa vai servir mais a Deus do que você. Nós também temos o exemplo de pessoas que nos trouxeram para a Igreja, que começaram a caminhada conosco, mas depois esfriaram e se afastaram, mas você teve a graça de permanecer. Por isso, você é responsável por chamar outras pessoas para a Igreja.

São Paulo diz: “ai de mim se eu não evangelizar”! Ele também nos exorta na carta a Timóteo que devemos pregar oportuna e inoportunamente, mas, claro, com discernimento. Isso é o que as leituras de hoje nos ensinam: ‘Todo aquele que invocar o nome de Jesus, será salvo. Mas como invocá-lo, sem antes crer nele? E como crer, sem antes ter ouvido falar dele? E como ouvir, sem alguém que pregue?’ É por isso que, como parte da Igreja, devemos nos sentir pescadores de homens e anunciar o Evangelho.

O próprio André, que era um pescador, com certeza um homem simples e modesto, assim como Pedro também era, eles foram transformados em gigantes da fé. Se eles conseguiram, por que nós não conseguiríamos? Jesus não mudou, o Espírito Santo de Deus não mudou, então nós podemos ser como eles. O mundo continua o mesmo, os pecados também não mudaram, mas Jesus passa hoje na nossa vida e diz: ‘vem e segue-me’. Talvez o seu ‘sim’ seja instrumento de salvação para muitas pessoas, mas é importante termos a consciência de que não somos nada e de que toda honra e toda glória é de Deus. Todas as vezes que você quiser se vangloriar no lugar de Jesus, pense no seu pior pecado e lembre-se de que toda honra e glória é Dele.

Tem hora que pensamos que estamos fazendo algo por nós mesmos, que temos unção para pregar, ou coisa assim, mas tenha a certeza de que o convencimento do coração para uma transformação de vida não é uma coisa humana, não vem de pessoas, mas sim da graça de Deus.

 

Deixe uma resposta